PSICOGRAFIA- DEPOIS DE ALGUMAS HORAS DE BEBEDEIRA

PSICOGRAFIA- DEPOIS DE ALGUMAS HORAS DE BEBEDEIRA

   Tendo eu nascido em família rica sempre tive muitas facilidades, tendo de tudo o que quisesse, era só desejar e logo o objeto do meu desejo era adquirido para me satisfazer, e assim eu vivia. Era moço e além de rico era muito bonito, atraindo assim as moças que se encantavam ou pela minha aparência ou pelo meu dinheiro e muitas vezes pelas duas coisas.

    Andava feito um louco pilotando aquela moto possante e assim me fazendo notar por jovens como eu e que de certa forma sentiam inveja de tudo o que eu possuía.

   Aquele dia, depois de algumas horas de bebedeira em um bar onde conheci uma linda garota, resolvemos ir para um lugar mais reservado. Assim saímos eu e ela, não era minha namorada eu a conhecera naquele mesmo dia. Acelerei minha moto e saímos felizes, eu como sempre muito imprudente e querendo fazer bonito pra garota saí acelerando feito um louco.

    Ia assim cortando os carros, até que numa manobra mais arriscada e sob efeito do álcool perdi a direção e bati fortemente de encontro a um ônibus. Tudo escureceu na minha frente, mas cheguei a ser socorrido e a pobre moça morreu ali mesmo no local do acidente, sem chances de socorro. Lembro-me de ter ouvido tal frase: A moça foi a óbito. Daí pra diante não me recordo de mais nada. Sei que cheguei com vida ao hospital, mas em poucos minutos meu espirito se desprendia daquele corpo jovem.

   Quando despertei estava em um lugar estranho, escuro, me sentia exausto, gritava por socorro, não entendia o porquê de eu estar ali. Ouvi muitos xingamentos, alguns me chamavam assassino, outros suicida e eu sem entender o que de fato aconteceu. Estava sujo com as roupas esfarrapadas. Enfim compreendi que não pertencia mais ao mundo dos vivos quando a cena do acidente me voltou à mente.

   O desespero tomou conta de mim, além de ter a certeza de que eu havia morrido ainda fui responsável pela morte daquela pobre moça. Meu Deus o que havia feito, sempre fui irresponsável, mas daí a me tornar um assassino… Foi nessa hora que em lembrei da minha família e como num piscar de olhos voltei a minha casa e pude ver o choro compulsivo da minha mãe, daí a pouco fui sugado pelos pensamentos da família da moça que eu mal conhecia, eles me xingavam e me culpavam pela morte dela. Assim fiquei pulando de uma casa a outra e sofrendo com o sofrimento daquelas pessoas.

   Certo dia resolvi, embora envergonhado, pedi ajuda a Deus, orei como nunca houvera orando antes, nesse momento vi uma luz bem perto de mim, era um anjo de Deus a me socorrer.

     Hoje me encontro em recuperação, a moça a qual eu fui o responsável pela morte já muito me perdoara, ela era uma moça boa e com muitos conhecimentos espirituais, diferente de mim.

    Onde estou aprendo a valorizar a vida para que na minha próxima existência corporal possa fazer tudo diferente, não sei se vou conseguir, mas confio em Deus. Sinto-me muito envergonhado por toda a dor que causei.

                                       

            Renato. 

            Psicografia recebida em 2016.                                      

            Médium:  Débora S C. 

FONTE: http://cartasespiritasjf.blogspot.com.br/2016_04_01_archive.html

 

Facebook Comments
Comodo SSL
CURTAM NOSSA PÁGINA E FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS POSTAGENS: